Please reload

Posts Recentes

Dependência Emocional: O amor que aprisiona

 

 

Coincidentemente, ou não, duas pessoas vieram me procurar hoje para falar sobre dependência emocional. Ambas estão vivendo relacionamentos conturbados e não sabem muito como sair dessa situação sem magoar seus parceiros ou a elas próprias.

Percebi, pela demanda, que talvez esse assunto possa ser interessante também para outras pessoas. Por isso decidi escrever esse texto!

 

Então, antes de tudo, vamos entender o que significa dependência emocional. Ela pode ocorrer em diversos tipos de relações, e se caracteriza, como o próprio nome diz, por uma dependência em relação a um parceiro. Para ficar mais fácil, deixa eu dar um exemplo.

Vamos imaginar duas pessoas que estão namorando, a Ana e o João. A Ana é dependente emocionalmente do João. Ou seja, ela não consegue imaginar a vida dela sem o João por perto. Ela precisa estar sempre com ele. Quando, por algum motivo, João não pode vê-la no final de semana – vamos imaginar que ele tem um trabalho da faculdade pra fazer -, Ana perde o controle das suas emoções, ela acha que ele não gosta mais dela, que não quer mais namorar com ela e, até mesmo, imagina que ele pode estar com outra pessoa.

 

Você consegue imaginar como essa situação pode ser desgastante? Tanto para Ana quanto

para João?

 

E realmente a dependência emocional pode trazer vários problemas para um relacionamento. Pois é muito cansativo depender do outro o tempo todo. E, para quem está do outro lado, é muito desgastante precisar estar sempre ali, não podendo exercer sua individualidade sem que haja cobranças ou desconfianças.

 

Se você se identifica com a Ana, sugiro que você dê atenção a essa dependência. Perceber-se dependente do outro pode significar que sua autoestima não está muito alta. Quando não há confiança em si mesmo, o outro passa a ser sua referência. É como se fosse um controle de qualidade. “Se o João está comigo, é porque eu merece ser amada.” Ou seja, o outro passa a ser uma bússola que norteia seu papel social. E quando uma pessoa dependente não tem essa atenção do outro, ela fica desestabilizada, podendo até ficar agressiva e paranoica.

 

E isso pode acabar gerando um efeito contrário no seu relacionamento. A sua necessidade de atenção o tempo todo pode acabar sufocando o outro, que pode não aguentar a pressão por muito tempo. Ou seja, cuidar da sua autoestima, elevando-a, será benéfico para você e para o seu relacionamento.

Agora, se você acha que está mais para o João na história. O que fazer?

 

Bom, o primeiro passo é conversar com sua parceira ou seu parceiro. Talvez ela nem tenha se dado conta da sua dependência emocional. O segundo passo, é demonstrar para ela, sempre que possível, que ela é amada e que você quer estar nesse relacionamento. E que passar um tempo longe um do outro não significa que você não se importa. Destaque a importância de que ela tenha um tempo para si, para fazer o que gosta. Estimule a individualidade de vocês, sem que isso demonstre distanciamento e frieza.

 

E claro, tenha paciência com sua parceira ou parceiro. Ela pode estar em momento de fragilidade emocional. E brigas e discussões podem acabar atrapalhando ainda mais seu desenvolvimento. Entenda que, em alguns momentos, haverá desconfiança. Mas isso nada tem a ver com você, e sim com a autoestima dela ou dele que está muito frágil e baixa.

 

O importante é sempre lembrar que, para um relacionamento ser saudável, é preciso que haja respeito e companheirismo. A sua individualidade nunca deve ser anulada para agradar o outro. O amor que vocês sentem um pelo outro deve ser algo a mais em sua vida e não uma forma de complemento, até porque você já é uma pessoa inteira, e não precisa depender de ninguém para ser completa e perfeita.

 

E cuidado para não ser alvo de chantagens emocionais, hein? Você não é a vida de ninguém e nem merece permanecer em uma relação desagradável por medo de magoar o outro. Se estar junto com o outro não faz mais sentido pra você, não há problema nenhum em pensar em um possível término. Como falei há pouco, o respeito é fundamental! Se não há mais respeito, talvez seja a hora de rever suas escolhas.

 

E claro, se você se percebe um relacionamento em que há dependência emocional, e não está conseguindo lidar sozinho ou sozinha com a situação, converse com alguém. E se for preciso, busque ajuda profissional. A vida a dois deve ser prazerosa e tem que fazer sentido para você sempre!

Share on Facebook
Share on Twitter
Clique aqui se gostou do texto!
Please reload

Siga
Procurar por tags
Please reload

Arquivo