• Psicóloga Cecília Weiller

Ansiedade: O que é? Quais os sintomas? Como lidar?


Quem aí nunca se sentiu ansioso na vida?

É comum ficarmos nervosos quando algo diferente vai acontecer: uma prova na escola, uma entrevista de emprego, um encontro.

A ansiedade permeia a nossa vida diariamente.

Mas você sabia que ela em excesso pode ser prejudicial a sua saúde? Pois é.

E é sobre esse tipo de ansiedade que eu gostaria de falar nesse texto.

O que é?

A ansiedade é aquilo que sentimos quando algo está para acontecer. Ela é uma reação do nosso corpo a algum estímulo que consideramos perigoso

Se formos pensar na história da humanidade desde os tempos em que vivíamos em cavernas e dependíamos da caça para o nosso sustento, a ansiedade era um sentido importante para a nossa sobrevivência. Diante de um perigo, a nossa reação deveria ser rápida e imediata. E para isso, o corpo precisava de mais sangue e sentidos em alerta. Qualquer ruído ou estímulo visual poderia indicar um possível predador.

A ansiedade é uma resposta natural ao medo.

Sendo assim, a ansiedade é natural para nós humanos; ela remete a uma época em que éramos muito mais instintivos do que racionais.

Mas você pode perguntar: por que ainda nos sentimos ansiosos se não vivemos em cavernas e precisamos fugir de predadores?

Isso é verdade, não precisamos. No entanto, nossas reações físicas a novos eventos continuam sendo importantes para nossa sobrevivência.

Estarmos preparados para uma entrevista de emprego faz com que nossas respostas sejam mais rápidas e assertivas. Nosso cérebro estará mais ligado e o corpo preparado para reagir. Isso, até certo nível, é considerado saudável.

Diante de tudo isso, é possível afirmar que a ansiedade é normal, faz parte da nossa natureza e é importante para nós.

Então, quando ela passa a ser uma doença?

Isso ocorre quando os sintomas começam a atrapalhar a vida de quem os sente e impede que as tarefas diárias sejam realizadas.

Por exemplo, sair de casa para ir ao trabalho pode ser um desafio para quem sofre de ansiedade. Seu corpo começa a reagir àquela situação como se ela fosse ameaçadora e vários pensamentos assustadores passam pela sua cabeça.

“E se eu sofrer um acidente no caminho? E se eu não for bem no trabalho hoje? E se eu me sentir mal no meio de uma reunião? ”

De certa forma, a ansiedade patológica pode ser explicada pela necessidade excessiva de se ter o controle sobre tudo o tempo todo. A justificativa é sempre essa: preciso me preparar para possíveis problemas.

Mas cá entre nós, essa preocupação toda não deixa ninguém preparado, ela apenas traz sofrimento e extremo cansaço para quem a sente.

O convívio com a ansiedade a longo prazo faz com a mente e o corpo fiquem exaustos. Imagina estar sempre alerta e pronto para a fuga? É muito cansativo!

E aí, o que o cérebro faz? Eu costumo dizer que é como se ele entrasse em stand-by, sabe? Ele entra em modo de espera.

Essa reação nada mais é que uma defesa no próprio organismo. O cérebro entende que não dá para ele continuar funcionando a todo o vapor, ele precisa descansar!

Por isso, muitas pessoas que convivem com a ansiedade relatam sentir-se fora de si mesmas, distantes da realidade e têm dificuldade de se conectar.

Alguns sintomas:

  • Preocupação excessiva, mesmo em casos em que a preocupação não é justificada;

  • Medo excessivo;

  • Tensão muscular;

  • Taquicardia (coração acelerado);

  • Suor excessivo;

  • Tremores;

  • Dores de cabeça;

  • Problemas intestinais e estomacais;

  • Dificuldade para dormir;

  • Irritação;

  • Cansaço;

  • Inquietação, ficando assustado (a) com facilidade;

  • Pensamentos estranhos e invasivos;

  • Medo de perder o controle ou de enlouquecer;

  • Visão embaçada;

  • Falta de ar (sensação de sufocamento, algo preso na garganta);

  • Formigamento e dormência;

  • Dificuldade em perceber suas emoções;

  • Falta de interesse;

  • Preocupação com o que as pessoas podem estar pensando;

Os sintomas podem ser tão variados que fica até difícil colocar todos em uma lista. Os que estão acima são os principais, mas saiba que a experiência da ansiedade pode ser diferente para casa pessoa.

E por isso ela é tão assustadora, porque os sintomas são variados e a cada novo sintoma a pessoa que os sente fica ainda mais preocupada e com medo, alimentando ainda mais a ansiedade.

Como lidar com a ansiedade?

A primeira coisa que devo dizer antes de responder a essa pergunta é que a ansiedade não é uma doença. Por isso, não devemos pensar em cura, mas sim em entendimento e aceitação do seu estado atual, buscando a diminuição dos sintomas.

Quem convive com a ansiedade provavelmente terá de aprender a lidar com ela.

O tratamento consiste em entender quais são os sintomas e aprender a lidar com eles, evitando possíveis crises.

Muitas pessoas chegam ao consultório querendo se livrar da ansiedade, quase com um sentimento de ódio em relação a essa “doença”.

“Eu não quero mais me sentir assim, não quero mais ter esses pensamentos. Preciso fazer alguma coisa para mudar. ”

E é justamente essa postura que deve ser reconsiderada.

A ansiedade, quando patológica, é justamente uma reação do organismo a uma excessiva necessidade de controle. Então não será com ainda mais controle que ela irá desaparecer.

Para lidar com a ansiedade, é preciso calma, paciência e acreditar que a mente tem a capacidade de se restabelecer sozinha.

Para ficar mais claro, costumo usar o seguinte exemplo:

“Uma criança caiu enquanto brincava e quebrou a perna. Já no hospital, depois de ser avaliada a medicada, recebe a seguinte prescrição médica: deverá engessar a perna e ficar 30 dias sem andar. ”

Por que ficar 30 dias sem andar? Porque o osso precisa de tempo para se recuperar. Com o repouso, ele terá tempo e energia para crescer e se reconstruir.

O nosso corpo funciona assim!

Se algum órgão precisa se recuperar, é preciso tempo, repouso e paciência para que o próprio organismo consiga se restabelecer.

Agora, se é a nossa mente que precisa de cuidados, o que geralmente fazemos? Damos ainda mais trabalho para ela.

Uma mente ansiosa costuma trabalhar muito mais do que deveria. Ao invés de deixá-la em repouso para se curar, há uma sobrecarga de ainda mais preocupações e cobranças.

Por isso, para lidar com a ansiedade, o primeiro passo é aceitar que ela existe e que ela faz parte de você.

Quando os pensamentos, o medo e angústia vierem, aceite-os. Não tente entendê-los, analisá-los e, principalmente, não lute contra.

Aceite que você não está bem e que sua mente está muita cansada.

Dê tempo para que ela se recupere.

Com o tratamento adequado, você começará a entender de onde vem sua ansiedade e quais são seus principais sintomas

Isso te ajudará a lidar melhor com eles quando surgirem.

Ao invés de sentir muito medo e dúvidas, você entenderá que aquilo é sua ansiedade falando e isso trará um pouco mais de compreensão e alívio para sua mente.

E claro, se você percebe que conseguindo sozinho, busque ajuda!

Procure um profissional de psicologia para fazer uma avaliação e um diagnóstico mais preciso.

Você não precisa dar conta de tudo o tempo todo.

Acredite, é possível se ver livre dos sintomas da ansiedade. Com tempo e paciência, eles irão diminuir e você poderá ter sua vida de volta.

#ansiedade #saúdemental #dicas #comportamento #psicólogacecíliaweiller #psicólogamoema #psicologia #psicoterapia

0 visualização

SOBRE O SITE

A objetivo do site é contribuir com informações sobre psicoterapia, psicologia, bem estar e saúde emocional.

Seja muito bem-vindo, espero que aqui você conheça um pouco mais sobre o meu trabalho e encontre o caminho para o que há de melhor em você.

LINKS

CONTATO

Psicóloga Cecília Weiller

Avenida Rouxinol, 1041 - Moema | São Paulo - SP

 (11) 97355-5467

wb.ceci@gmail.com

REDES SOCIAIS

  • Facebook - círculo cinza
  • Instagram - Cinza Círculo
  • YouTube - círculo cinza
  • LinkedIn - círculo cinza

© | CRIADO POR CECÍLIA WEILLER | PSICÓLOGA CECÍLIA WEILLER | MOEMA | CLINICA PSICOLOGIA |  ATENDIMENTO PSICOLOGICO | PSICOTERAPIA ADULTO | PSICOLOGIA | 2017 |